domingo, 14 de abril de 2013

Um dia de domingo

Há alguns anos eu acreditava que os domingos fossem dias para ser feliz, para sair, se divertir, comemorar algo. Mas hoje a realidade é bem diferente. Os domingos não passam de dias monótomos, chatos e cheios de incertezas. Ou será que fui eu que mudei? O tempo passa tão rápido que a gente nem se dá conta e apenas vai deixando as coisas acontecerem.
Sinto saudades de meus velhos domingos, quando ia aos campos, quando andava a cavalo, quando estava ao lado dele (porque ele sabia como me fazer feliz). E nem tudo dura para sempre. É por isso que as pessoas costumam dizem que as boas lembranças ficam em nossa memória, não há fotografia que expresse a verdadeira alegria de um sorriso ou de um olhar.
Sinto falta de passar o domingo com meu velhos amigos, bebendo ou conversando.
A gente cresce e a vida fica chata. Tem remédio para isso? Ah, deveria ter.
Porque tudo que eu queria agora era está lá e não aqui redigindo esse texto!!!




2 comentários:

  1. Acho que quando a gente cresce, a gente vai perdendo o costume de rir de coisas simples da vida, costume que deveríamos guardar e nunca deixar ele se perder.

    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com você querida. É que a gente cresce e o encanto das coisas boas e simples vão acabando. Amadurecer, ás vezes, é ruim demais.

      Excluir